Felicity, Slut-shaming e centavos atrasados sobre a Viúva Negra.

Felicity e o crime de...ter relacionamentos.2015, gente!

Felicity e o crime de…ter relacionamentos.2015, gente!

Eu nem ia falar mais sobre o caso Viúva Negra porque como devem ter notado o Nyanko-sensei andou meio morto essas semanas. E pra ser sincera porque outros blogs, feministas ou não fizeram bem sua parte e a preguiçosa aqui se deu por satisfeita. Mas foi o slut-shaming crescente sofrido por outra personagem feminina do mundo dos heróis que me empurrou para escrever este texto. E mais ainda a conclusão (óbvia até) que não importa se uma mulher é sexy ou recatada, uma hora seremos jogadas na fogueira pelos machistas de plantão, simplesmente por sermos mulheres. Nenhuma mulher está livre disso.

E começando a divagação: que a terceira temporada de Arrow foi horrorosa isso é de comum acordo. Que Felicity uma das personagens mais queridas da série foi se estragando, isso também não nego. E o principal fator que ajudou a afundar a personagem foi aquele câncer chamado Olicity. Uma fantasia dos fãs, que cresceu , invadiu o roteiro e foi se concretizando das formas mais irritantes possíveis. Não nego também. Felicity virou a namoradinha mimizenta e chorosa do herói e suas cenas estavam lamentáveis demais. Até aqui, coleguinhas, concordo com tudo. Porém a misoginia não tira descanso e passeando em vários sites por aí, observando os comentários sobre a série, e principalmente sobre a personagem, vi umas teclas se repetindo: “Felicity virou uma biscate” “uma vadia que dá pra todos os heróis”, “ela estragou a série”, “ela vai estragar outras”.

É preciso ser muito idiota para se incomodar com quem a Felicity sai ou deixa de sair e resumir tudo em: “virou uma puta”. Vamos lá, o que de tão nojento e desonesto Felicity fez com esses homens? Flertou com o Barry, qual o problema? Vocês nunca tiveram uma paquerinha na vida? Sempre gostou do Oliver, mas o herói fechou essa porta. Seguiu sua vida, conhece Ray, gosta dele, começam a namorar.  Cri,cri,cri. Ué, cadê o mau-caratismo nessas relações todas? Não me venham dizer que o erro dela foi ficar dividida entre dois caras, porque aí galera, vamos demolir um bocado de livros, séries, filmes…

Piadinha sobre quem chegou mais longezzzzzz

Piadinha sobre quem chegou mais longezzzzzz

Lembrando que Barry, mesmo amando Íris a vida toda, se permitiu flertar com Felicity e ninguém achou hipocrisia nem nada. Mas a loira, amar Oliver e se sentir atraída pro outro cara e ser livre e desimpedida pra ficar ele, meu deus, absurdo! Sobre Ray e Oliver, bem o problema não está no triângulo amoroso, o problema está na forma como foi desenvolvido e irritar a narrativa ao invés de causar alguma expectativa. Mas notei que o incômodo maior era o fato de Felicity ter uma vida paralela a de ajudante do Arqueiro, paralela às vontades de Oliver. Uau, ela deixar a base para ir se encontrar com Ray? Que traidora! Pq né? Oliver pode ter uma vida afetiva/sexual paralela à vida de herói que ninguém vai chiar, afinal ele é o garanhão. Se mulher tentar o mesmo… sem contar que além do interesse romântico, Felicity estava envolvida profissionalmente com Ray, sendo valiosa para ajudá-lo na sua ridícula armadura

Felicity era paparicada por ser divertida e fofinha, inocente e ter uma queda boba pelo Arqueiro. A partir do momento em que começa a exercer sua sexualidade, os fanboys meio que começaram a se sentir desconfortáveis. Imagina ver sua musa geek ingênua flertando, transando, o horror! Prolixando: você pode dizer que o triângulo amoroso foi uma bosta, mas se focar só na mulher, ponha os freios no seu machismo. Felicity foi muito mais prejudicada do que culpada por isso, e que porra, se é um triangulo, pq só ela é responsável por estragar tudo? E as eternas crises de Oliver, naquele chato esquema de:“euteamomasnãovouficarcomvocê 3x”?

O cúmulo do male tears! Tadinho, pegou todas, umas o público odeia, outras morreram, mas o heroi é o coitado.

O cúmulo do male tears! Tadinho, pegou todas, umas o público odeia, outras morreram, mas o heroi é o coitado.

E em meio a esses pensamentos, lembrei-me da Viúva Negra de Scarlett Johansson que foi alvo das grosserias dos próprios colegas de elenco, principalmente de Jeremy Renner que não economizou na merda quando foi se explicar. Se Felicity tem uma construção doce, comportada, a Viúva é o outro lado: sensual, atraente, usando de seus atributos como valiosa arma. Nos filmes isso é mais diluído, mas está lá: ela é sexy, chama a atenção por ser um rosto bonito; em Capitão América – Soldado Invernal tem uma rápida e desnecessária cena de beijo entre ela e o Capitão, para despistar os inmigoszzz. Sei. A verdade é que os produtores sabem do potencial de teaser da personagem e ainda que não façam de forma escandalosa, eles usam quando podem. E claro você tem a única mulher do grupo, que será o interesse amoroso de algum vingador. Porque personagem feminina sem servir de crush de alguém é desperdício sabe? A função da mulher permeia entre a sedução e o romance, ou os dois. E mesmo com esses clichês, Natasha é mais do que isso, Scarlett  Johansson deu vida a uma vingadora de vários talentos, e seu corpo é uma arma, mais por ela ser uma assassina que por ser mulher.

A mulher como elemento que acalma, doma a fera.

A mulher como elemento que acalma, doma a fera.

Não serei hipócrita de dizer “olha meninas, não tem nada demais ela usar a sexualidade para enganar os inimigos”. O estereótipo de mulher sedutora capaz de levar pobres homens a loucura ou morte, que destrói lares é um reforço machista extremamente nocivo para nós mulheres. Nunca caiam nessa besteira de acreditar que “o que temos entre as pernas é a nossa maior arma” e que isso é UAU, empoderador. Porque é morder uma isca cruel onde somos condicionadas a seduzir (e recuar) e seremos punidas por isso. Que é cool uma mulher ser uma máquina de sexo e poder, no mesmo mundo onde isso nos destruirá. Precisamos repensar essas ideias, e desconstruí-las, pensar a quem realmente serve essas lorotas: porque diabos caras podem punhetar a Viúva, mas a acham uma puta?

Porém é preciso ter em mente que: a sexualidade feminina serve á mulher. Se ela a usa para enganar os outros eu posso achar errado, mas não devo reduzir ninguém a isso, até porque tá cheio de histórias por aí, onde o protagonista, herói, vilão, wathever flerta com uma mulher, às vezes até mente, transa com ela e depois some, continua sua missão e sua honra não é arranhada. Porque quando é com mulher é coisa de puta?

Ô Barton, pq?

Ô Barton, pq?

Reflita, evolua, o que for. Felicity e Natasha são duas mulheres totalmente diferentes, de mídias diferentes, uma é DC outra é Marvel, mas no final das contas são vítimas não de seu comportamento sexual, e sim do machismo. Nem a mais queridinha e quietinha mulher está isenta de sofrer ataques misóginos. Basta ser mulher que as pedradas virão. E se você não aguenta mais o mimimi exagerado das feministas malditas, foda-se. Acho é pouco. O mundo não é feito apenas por homens, e mulheres não aceitam mais serem desrespeitadas apenas por serem mulheres. O tempo de só respeitar moça que se dá ao respeito está passando e fanboys não são juízes que podem decidir o valor de respeito de uma Felicity ou uma Natasha. Nem de mulher nenhuma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s